Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Mercado de trabalho e qualificação profissional pautam roda de conversa com jovens

Publicado em 25/05/2021 às 14:06 - Atualizado em 25/05/2021 às 14:06

Adolescentes que cumprem medidas socioeducativas em Irineópolis receberam orientações sobre o mercado de trabalho e a importância da qualificação profissional. A roda de conversa com estes temas foi promovida pela secretaria de assistência social em parceria com a assessoria da juventude do município.
 
Durante o diálogo com os adolescentes, a assessora da juventude, Andrieli Krzewinski apresentou o projeto Juventude Empreendedora, criado para capacitar jovens de 17 a 29 anos a abrirem seus próprios negócios. Andrieli explicou que a capacitação online visa apoiar jovens que pretendem abrir um negócio para ter renda própria e também os pequenos e microempreendedores que enfrentam dificuldades para manter o negócio com as portas abertas e lucrando, mesmo em meio à pandemia. “A busca por conhecimento é um diferencial no mercado de trabalho, por isso orientamos os adolescentes para que aproveitem as oportunidades de aprendizado, como esse projeto gratuito que acontece todo em ambiente digital”, comenta Andrieli.
 
Os adolescentes autores de ato infracional são responsabilizados através de determinação judicial a cumprirem medidas socioeducativas que contribuem para o acesso a direitos e para a mudança de valores pessoais e sociais. Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, as medidas socioeducativas podem acontecer em liberdade, em meio aberto ou com privação de liberdade, sob internação. “A equipe do Programa de Execução de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto recebe o adolescente e sua família na sede da Secretaria de Assistência Social para primeiramente elaborar o Plano de Acompanhamento Familiar, conhecer o jovem e suas aptidões e no caso de prestação de serviços comunitário, encaminhá-lo para instituições, sendo que o cumprimento deve ser em local adequado, assim em tempos de pandemia vem sendo dividido entre atividades presenciais e remotas. Não se trata de apenas cumprir horas, o adolescente precisa refletir e aprender sobre seus atos”, explica a servidora da secretaria de assistência social, Géssica Greschechen.
 
Em Irineópolis os jovens que cumprem medidas socioeducativas também são acompanhados pela psicóloga Juliana Portes e pela assistente social Valéria Opautchak. Além de fazer o acompanhamento dos adolescentes, contribuindo no trabalho de responsabilização do ato infracional praticado, a equipe também faz visitas e realiza projetos com os jovens. “Como a faixa etária atendida varia entre 16 a 20 anos, percebemos a necessidade de falar mais sobre o mundo do trabalho e emprego, aí surgiu a ideia de chamar a Andriele para falar sobre empreendedorismo. Queremos apresentar para esses jovens novas oportunidades, iniciativas que terão uma influência positiva na vida deles”, comenta Géssica.