Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Propriedades de Irineópolis recebem certificação da Cidasc

Publicado em 01/12/2022 às 16:45 - Atualizado em 01/12/2022 às 16:45

Mais seis propriedades de Irineópolis receberam certificado de estabelecimento de criação livre de brucelose e tuberculose. A certificação é concedida pela Cidasc após análise do rebanho e cumprimento de exigências sanitárias.
 
Foi após o incentivo da equipe da Cooperleite, que Osmar e sua esposa Adriana Chaves decidiram aderir à certificação. “Eles vieram aqui e perguntaram que a gente queria fazer a certificação, explicaram como funcionava e que era bom para a propriedade. Decidimos fazer e hoje estamos contentes por receber o certificado”, conta Adriana. A cooperativa teve um papel fundamental para mobilizar os produtores e junto com a Cidasc realizar todo o processo, que traz ganhos do ponto de vista sanitário e econômico aos pecuaristas.
 
“Trabalhamos para sempre buscar a melhor qualidade possível dentro das propriedades, iniciando com uma boa alimentação, manejo adequado, bem estar animal e sanidade. A gente busca sempre certificar esse leite, para ser o melhor leite para entregar, o melhor produto para as famílias, que seja economicamente viável, sustentável para as propriedades e com segurança alimentar para o consumidor”, destaca o presidente da Cooperleite, Aldair Gonçalves Padilha. Ele conta que o trabalho em conjunto com a Epagri e Cidasc iniciou em 2020 e já tem apresentado bons resultados. “Agora temos seis propriedades certificadas e estamos em andamento com outras seis aqui do município. Regionalmente, temos 15 propriedades que já receberam o certificado e outras 50 que estão em processo e nos próximos meses devem receber os certificados. A meta é chegar em noventa e cinco por cento das 211 propriedades que temos hoje”, explica Padilha.
 
O secretário de agricultura de Irineópolis, Edson Marcos Chaves, destaca que ao certificar a propriedade, o produtor tem maior facilidade no transporte de animais e pode ter mais lucro na venda do leite, uma vez que alguns laticínios pagam um valor adicional pelos produtos de sanidade comprovada. “ É muito bom ver produtores de nosso município aderindo à certificação, reduzindo os riscos à saúde pública e oportunizando melhores condições para que possam ter produtos de origem animal com um diferencial de qualidade e consequentemente maior agregação de valor”, comenta o secretário.
 
A médica veterinária Rafaela Konkel foi responsável por incentivar a adesão dos produtores e acompanhar a sanidade dos animais por meio da Cooperleite. O processo de certificação das propriedades foi acompanhado pela médica veterinária da Cidasc, Carolina Pazda Dambroski,